Odontologia (em breve) | Faculdade Luciano Feijão

Odontologia (em breve)

 Apresentação

O Curso de Odontologia da Faculdade Luciano Feijão está de acordo com o que prescrevem as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Odontologia, Resolução CNE/CES nº 3, de 19 de fevereiro de 2002, na Resolução CNS nº 515/2016 e na Recomendação CNS nº 024, de 10 de julho de 2008.

A proposta de implantação do Curso de Graduação em Odontologia da Faculdade Luciano Feijão foi fundamentada nas necessidades do contexto sócio demográfico e nas demandas de saúde da população da região em que a IES está inserida. O objetivo da Faculdade Luciano Feijão é contribuir para o desenvolvimento local e regional por meio da formação de Cirurgiões-Dentistas que exerçam a Odontologia de forma articulada com o contexto social, econômico, cultural, ambiental e com as políticas públicas do Sistema Único de Saúde, e sejam capazes de transformar a realidade em que atuam em benefício da sociedade.

Objetivo Geral

Formar Cirurgiões-Dentistas, generalistas, com sólida formação ética, humanística e técnico-científica, proativos na construção permanente de seu conhecimento, com competências e habilidades para compreender e intervir nas necessidades de saúde individuais e coletivas, para promoção da integralidade do cuidado, de forma articulada com o contexto social da região em que atuam.

Objetivos Específicos

Formar Cirurgiões-Dentistas aptos a:

  • atuar, em âmbito público ou privado, considerando os princípios da ética e bioética, o Código de Ética Odontológica e os marcos regulatórios da saúde bucal na sociedade;
  • exercer a Odontologia de forma articulada com o contexto social, econômico, cultural e ambiental, entendendo-a como uma forma de participação comunitária;
  • promover a saúde e a integralidade do cuidado em saúde, em nível individual e coletivo, reconhecendo a relação da saúde bucal com as condições sistêmicas do indivíduo;
  • realizar as etapas para análise e interpretação de informações clínicas e epidemiológicas, para a construção do diagnóstico, da terapêutica e do controle referentes às doenças e agravos bucais e suas relações com as condições sistêmicas do indivíduo;
  • aplicar os princípios de biossegurança na prática odontológica, de acordo com as normas legais e regulamentares pertinentes;
  • executar procedimentos odontológicos com vistas à promoção da integralidade da atenção do indivíduo nas diferentes fases do ciclo de vida, tendo como base as evidências científicas e a incorporação de inovações tecnológicas no exercício da profissão;
  • participar de investigações científicas, respeitando o rigor científico e os princípios de ética em pesquisa, além de desenvolver o pensamento crítico, reflexivo e criativo e a capacidade de buscar e produzir conhecimento;
  • aplicar os fundamentos da epidemiologia e do conhecimento da comunidade, como fatores fundamentais à gestão, ao planejamento e à avaliação das ações profissionais para fundamentar a tomada de decisão em saúde;
  • trabalhar interprofissionalmente, interdisciplinarmente e transdisciplinarmente na atenção à saúde, pautando seu pensamento crítico em valores éticos e em evidências científicas, e de forma que permitir a escuta qualificada e singular de cada indivíduo e das comunidades;
  • planejar e desenvolver a atenção odontológica individual e coletiva, considerando a família como unidade de cuidado, e respeitando os ciclos de vida;
  • construir relações de colaboração, reconhecendo a liderança como atributo a ser exercitado por meio de relações interpessoais;
  • supervisionar as atividades do técnico em saúde bucal e auxiliar em saúde bucal.

Estrutura do Curso

  • Duração do Curso: 10 (dez) semestres
  • Turno: Integral
  • Carga Horária:
    Componentes curriculares: 3.205h
    Atividades Complementares: 120h
    Estágio Supervisionado: 860h
    Total:  4.185h
  • Vagas: 150 vagas anuais
  • Grau: Bacharel

Perfil do Egresso

O Curso de Graduação em Odontologia da Faculdade Luciano Feijão tem por objetivo desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes no processo formativo, de maneira que o egresso construa competências para enfrentar e superar os desafios que se apresentam à prática profissional, em diferentes contextos do trabalho em saúde. Nesta perspectiva, considerando as DCN espera-se que os egressos desenvolvam as seguintes competências durante o processo formativo:

I – Atenção à saúde: visa à formação do CD para atuar considerando a ética e as dimensões da diversidade biológica, subjetiva, étnico-racial, de gênero, orientação sexual, socioeconômica, política, ambiental, e cultural, que singularizam cada pessoa ou cada grupo social:

  • capaz de reconhecer a saúde como direito humano e condição digna de vida e atuar com base no direito ao acesso universal à saúde e aos princípios do SUS, de forma contínua e articulada com todos os setores da sociedade;
  • apto a atuar na integralidade do cuidado à saúde, individual e/ou coletiva; em todos os pontos da rede de atenção do SUS, com o objetivo de responder às necessidades sociais em saúde;
  • atuar interprofissionalmente, interdisciplinarmente e transdisciplinarmente na atenção à saúde, pautando seu pensamento crítico em valores éticos e em evidências científicas, e de forma que permitir a escuta qualificada e singular de cada indivíduo e das comunidades;
  • exercer sua profissão de forma articulada com o contexto social, econômico, cultural e ambiental e com as condições de vida dos indivíduos e das comunidades, considerando os determinantes sociais e o processo saúde-doença da população, no respectivo contexto;
  • capaz de promover a humanização do cuidado à saúde de forma contínua e integrada, estimulando o autocuidado e a autonomia das pessoas, famílias, grupos e comunidades, bem como reconhecer os usuários como protagonistas ativos da sua própria saúde, inclusive as pessoas com deficiência;
  • realizar com segurança processos e procedimentos, referenciados nos padrões vigentes da prática profissional, de modo a evitar riscos, efeitos adversos e danos aos usuários, a si mesmo e aos demais profissionais, agindo com base no reconhecimento clínico-epidemiológico, nos riscos e vulnerabilidades dos indivíduos e grupos sociais;
  • fundamentar a atenção à saúde nos princípios da ética e da bioética, bem como nas legislações regulatórias do exercício profissional, levando em conta que a responsabilidade da atenção à saúde não se encerra com o ato técnico.


II – Tomada de decisões:
visa à formação do cirurgião-dentista capaz de:

  • aplicar conhecimentos, metodologias, procedimentos, instalações, equipamentos e insumos, de modo a produzir melhorias no acesso e na qualidade integral à saúde da população e no desenvolvimento científico, tecnológico, e em seus aspectos de inovação que retroalimentam as decisões;
  • avaliar sistematicamente e realizar a escolha das condutas adequadas, com base em evidências científicas e na escuta ativa centrada nas necessidades dos indivíduos, famílias, grupos e comunidades.


III – Comunicação:
visa à formação do cirurgião-dentista capaz de:

  • interagir com usuários, familiares, comunidades e membros das equipes profissionais, com empatia, sensibilidade, interesse e respeito aos saberes e à cultura popular, por meio de linguagem acessível, facultando aos usuários a compreensão das ações e dos procedimentos indicados;
  • relacionar-se com a equipe de saúde de forma a articular os diferentes conhecimentos na solução dos problemas de saúde, assim como contribuir com a convivência harmoniosa nos serviços de saúde;
    manter a confidencialidade das informações recebidas incluindo imagens obtidas, estimulando a confiança mútua, a autonomia e a segurança do usuário sob cuidado;
  • compreender a comunicação verbal e não-verbal, a escrita e a leitura da Língua Portuguesa, assim como, para atendimento às comunidades pertinentes, a Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS) e a cultura indígena, sendo desejável, ainda, a compreensão de pelo menos uma Língua estrangeira.
  • conhecer e aplicar tecnologias de informação e comunicação como meio para tratar as informações e mediar o processo comunicativo entre profissionais e usuários sob cuidado.


IV – Liderança:
visa à formação do cirurgião-dentista capaz de:

  • reconhecer a liderança como atributo a ser exercitado por meio de relações interpessoais que envolvam compromisso, comprometimento, responsabilidade, empatia e tomada de decisões;
  • construir relações de colaboração e incentivar o desenvolvimento da equipe profissional, o desempenho de ações e a geração de mudanças nos processos de trabalho, de forma efetiva, eficaz e integrada, mediadas pela interação, participação e diálogo;
  • exercer posições de liderança e proatividade que visem ao bem-estar no trabalho da equipe interprofissional e na interação comunitária;
    motivar a busca pela autonomia e autocuidado em saúde.


V – Gestão em saúde:
visa à formação do cirurgião-dentista capaz de:

  • conhecer, compreender e participar de ações que visem à melhoria dos indicadores de qualidade de vida e de morbidade em saúde, passíveis de serem realizados por um profissional generalista, propositivo e resolutivo;
  • aplicar os fundamentos da epidemiologia e do conhecimento da comunidade, como fatores fundamentais à gestão, ao planejamento e à avaliação das ações profissionais;
  • desenvolver parcerias, organizar contratos e constituir redes que estimulem e ampliem a aproximação entre instituições, serviços e os outros setores envolvidos na atenção integral e promoção da saúde;
  • realizar a gestão do processo de trabalho da equipe de saúde em consonância com o conceito ampliado de saúde, com as políticas públicas e com os princípios e diretrizes do SUS;
  • compreender o gerenciamento e administração da equipe de trabalho, da informação, dos recursos financeiros, humanos e materiais;
  • realizar a gestão estrutural, financeira, organizacional, tributária e dos processos de trabalho de consultórios, das clínicas e dos demais serviços de saúde;
  • gerir o cuidado à saúde, de forma efetiva e eficiente, utilizando conhecimentos e dispositivos de diferentes níveis tecnológicos, de modo a promover a organização dos sistemas integrados de saúde para a formulação e desenvolvimento de projetos terapêuticos individuais e coletivos;
  • conhecer os movimentos sociais e as formas de participação da população no sistema de saúde;
  • contribuir para a promoção e o debate de políticas públicas de saúde em instâncias colegiadas, como Conselhos Distritais e Conferências de Saúde, visando à colaboração e à construção de programas e políticas justas e solidárias em defesa da vida.


VI – Educação permanente:
visa à formação do cirurgião-dentista capaz de:

  • compreender e atuar de forma proativa na estrutura organizacional e na cultura institucional dos serviços de saúde, por meio da reflexão sobre a ação, visando às mudanças nas estruturas institucionais, nas organizacionais e no processo de trabalho, necessárias para compreender e atuar de forma proativa na estrutura organizacional e na cultura institucional dos melhoria constante do desempenho da equipe de saúde, para a geração de práticas desejáveis de gestão, de atenção e de relacionamento com a população atendida;
  • atuar interprofissionalmente com base na reflexão sobre a própria prática, por meio da troca de saberes com profissionais da área da saúde e de outras áreas do conhecimento, para a identificação e discussão dos problemas e para o aprimoramento contínuo da colaboração e da qualidade da atenção à saúde;
  • desenvolver novos conhecimentos com base na fundamentação teórico-reflexiva no exercício do trabalho, assim como nas oportunidades de intercâmbio profissional e de educação permanente formal, na vivência comunitária, no cotidiano das unidades da rede de serviços de atenção à saúde, considerando ainda a referência, a contrarreferência e o gerenciamento dos imprevistos.

Laboratórios de Ensino

LABORATÓRIOS DE ENSINO PARA A ÁREA DE SAÚDE:

Os laboratórios do Curso de Graduação em Odontologia possuem normas de funcionamento, utilização e segurança, apresentam conforto, manutenção periódica, serviços de apoio técnico e de recursos de tecnologias da informação e comunicação adequados às atividades a serem desenvolvidas, havendo, ainda, avaliação periódica quanto às demandas, aos serviços prestados e à qualidade dos laboratórios, disponibilizadas nos relatórios da CPA os resultados são utilizados pela gestão acadêmica para planejar o incremento da qualidade do atendimento, da demanda existente e futura e das aulas ministradas.

– LABORATÓRIO INTEGRADO DE ANATOMIA HUMANA
– LABORATÓRIOS DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

LABORATÓRIOS PRÉ-CLÍNICOS DO CURSO DE ODONTOLOGIA:

A preocupação da IES centra-se em oferecer os melhores equipamentos, sempre em sintonia com o mercado e roteiro das aulas práticas. Os técnicos de laboratórios são treinados e capacitados a preparar, montar e desmontar as aulas práticas, assegurando que as próximas turmas encontrem os laboratórios em condições de utilização.

– LABORATÓRIO DE EMBLIOLOGIA, HISTOLOGIA E PARASITOLOGIA
– LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA
– LABORATÓRIO DE PRÓTESE
– LABORATÓRIO PRÉ-CLÍNICA
– LABORATÓRIO RADIOLOGIA

Grade e Corpo Docente

DisciplinaCarga Horária
1º SEMESTRE
Anatomia Humana80
Biologia Celular e Molecular40
Bioquímica45
Histologia e Embriologia80
Introdução à Odontologia40
Saúde Coletiva I60
Saúde e Sociedade40
 
2º SEMESTRE
Anatomia de Cabeça e Pescoço80
Fisiologia80
Histologia e Embriologia Bucal40
Metodologia da Pesquisa Científica I40
Microbiologia60
Parasitologia40
Saúde Coletiva II60
 
3º SEMESTRE
Cariologia60
Farmacologia Aplicada à Odontologia80
Imunologia30
Introdução à Clínica50
Metodologia da Pesquisa Científica II40
Patologia Geral60
Psicologia Aplicada à Saúde30
Saúde Coletiva III60
4º SEMESTRE
Anestesiologia40
Laboratório de Dentística100
Laboratório de Periodontia60
Patologia Bucal60
Radiologia Odontológica e Imaginologia80
Saúde Coletiva IV60
 
 
5º SEMESTRE
Clínica de Cirurgia I90
Clínica I (Dentística e Periodontia)100
Laboratório de Endodontia80
Laboratório de Prótese I (PT e PPR)80
Saúde Coletiva V40
Estágio Curricular Supervisionado Extramuros I40
 
 
6º SEMESTRE
Administração, Gerenciamento e Marketing em Saúde Bucal40
Clínica de Prótese I (PT e PPR)100
Clínica II (Dentística/Periodontia/Endodontia)100
Emergências Médicas e Odontológicas40
Estomatologia60
Laboratório de Prótese II (Fixa)80
 
 
7º SEMESTRE
Clínica de Cirurgia II90
Clínica de Prótese II100
Clínica Infantil I100
Deontologia e Odontologia Legal30
Laboratório de Ortodontia80
 
 
 
8º SEMESTRE
Clínica de Atenção ao Idoso e Pessoas com Deficiência60
Clínica de Cirurgia III60
Clínica III (Dentística/Periodontia/Endodontia)100
Clínica Infantil II100
Trabalho de Conclusão de Curso I40
 
 
 
9º SEMESTRE
Estágio Curricular Supervisionado Extramuros II170
Estágio Curricular Supervisionado Clínica Integrada I240
10º SEMESTRE
Estágio Curricular Supervisionado Extramuros III170
Estágio Curricular Supervisionado em Clínica Integrada II240
Trabalho de Conclusão de Curso II40
 
 

Manual do Curso de Odontologia

  • (em breve)

Coordenação

Ealber Carvalho Macedo Luna

Coordenador
Ealber Carvalho Macedo Luna

Graduado em Odontologia pela Universidade Federal do Ceará - campus Sobral. Mestre e Doutor em Clínica Odontológica pela Universidade Federal do Ceará. Atua nos seguintes setores de estudo: Biologia Celular e Molecular, Histologia e Embriologia, Patologia Geral, Patologia Oral e Estomatologia. (Texto informado pelo autor)

Pollyanna Martins

Coordenadora Adjunta
Pollyanna Martins

Doutora em Odontologia com ênfase em Saúde Coletiva (Universidade Federal do Ceará - UFC). Mestre em Saúde da Família (UFC). Graduada em Odontologia (UFC). Supervisora de Saúde Bucal/Atenção Primária à Saúde (Secretaria de Saúde do Estado do Ceará). Docente do Mestrado Profissional em Saúde da Família da Rede Nordeste de Formação em Saúde da Família ? RENASF (UVA). Líder do GIPS (Grupo Interprofissional de Pesquisa em Saúde) da Faculdade Luciano Feijão.Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em avaliação de políticas e sistemas de saúde, epidemiologia em saúde e saúde bucal. (Texto informado pelo autor)