Acessibilidade

Núcleo de Acessibilidade e Inclusão

Criado em novembro de 2014, o Núcleo de Acessibilidade e Inclusão da Faculdade Luciano Feijão visa atender à orientação do Ministério da Educação (MEC) às instituições de ensino superior quanto à organização de propostas e ações institucionais que viabilizem o acesso e a permanência de estudantes com deficiência e/ou mobilidade reduzida em âmbito acadêmico e, consequentemente, a participação e o desenvolvimento acadêmico e social destes estudantes. Nesta perspectiva, as ações do núcleo preveem a remoção de possíveis barreiras arquitetônicas, pedagógicas, atitudinais e de comunicação que constituem obstáculos à plena inserção social e educacional destes estudantes.
A inclusão de estudantes com deficiência e/ou mobilidade reduzida no contexto educacional já é uma realidade nas instituições de ensino brasileiras, o que pode ser entendido como um esforço social legítimo de consolidação do paradigma educacional inclusivo. O acesso das pessoas com deficiência à educação superior vem sendo ampliado significativamente nos últimos 11 anos. Não obstante, reconhecemos que o acesso dos alunos com deficiência ao ensino superior (IES) não traduz genuinamente a realidade da inclusão em nosso país, quando tomado isoladamente ou na ausência de ações afirmativas que assegurem também a permanência destes alunos nas instituições de ensino superior (IES).

Desta feita, pensar as instituições de ensino, inclusive as IES, como espaços inclusivos significa considerá-las em suas dimensões políticas, pedagógicas, institucionais e culturais. Pensar, elaborar e consolidar políticas institucionais de acessibilidade, para além de adequações arquitetônicas, consiste em construir uma cultura institucional inclusiva que acolha estudantes, profissionais e comunidade acadêmica independente de suas características e limitações físicas, cognitivas e socioemocionais.
Isto posto, dentre as propostas do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão pretendemos desenvolver ações afirmativas e programas de sensibilização de toda a comunidade acadêmica, bem como a oferta de suporte aos discentes, docentes e funcionários da instituição para a concretização de práticas educacionais e sociais inclusivas no cotidiano da instituição.
Consciente do desafio que perpassa o processo de transformação de concepções socialmente e historicamente construídas e enraizadas a respeito das pessoas com deficiência, que as relega à exclusão e marginalização, a Faculdade Luciano Feijão  dispõe-se a contribuir na luta pela construção de uma Educação para todos, legitimamente mais humana, justa e democrática, unindo-se aos que consideram a convivência na diversidade como fator enriquecedor ao aprendizado e à construção coletiva de conhecimentos.

Como estratégia inclusiva de estudantes com deficiência no contexto da Faculdade Luciano Feijão, destacamos o trabalho de Atendimento Educacional Especializado oferecido aos alunos dos cursos da instituição no intuito de facilitar-lhes o processo de inclusão educacional e social, possibilitando, através da mediação social, o desenvolvimento da autonomia dos alunos no processo de construção do conhecimento, considerando suas potencialidades e limitações.
O Atendimento Educacional Especializado promove adaptações curriculares e atividades extracurriculares através da identificação das reais necessidades cognitivas e sócio-emocionais de cada aluno, respeitando-lhes os ritmos e estilos diversos de aprendizagem.

Consciente do desafio de construir uma cultura institucional inclusiva, a Faculdade Luciano Feijão conta com a participação de toda a comunidade acadêmica para contribuir na luta pela efetivação de uma Educação para todos, legitimamente mais humana, justa e democrática, unindo-se aos que consideram a convivência na diversidade como fator enriquecedor ao aprendizado e à produção coletiva de conhecimentos.
Sobral, 05 de dezembro de 2016.

De acordo com dados oriundos do Documento orientador do Programa INCLUIR- Acessibilidade na educação superior SECADI/SESu–2013, o número de matrículas de estudantes com deficiência no ensino superior aumentou de 5.078 em 2003 para 23.250 em 2011, considerando instituições de ensino superior públicas e particulares.

DEPOIMENTOS

  • “Hoje eu gostaria de agradecer a duas pessoas muito especiais pra minha vida, que foram a Àurea Júlia e a Doriane que me ajudaram a superar meus medos e graças a vocês estou indo cada vez melhor nessa minha caminhada acadêmica.
    Assim, falando sobre as contribuições da Doriane para a Faculdade, Ela esta sendo essencial na minha vida acadêmica e hoje estou bem mais confiante em mim mesma e agradeço as duas por tudo”.

    Amanda Moreira Carvalho

  • Aluno do 10º período do curso de Psicologia

    “Eu, Vicente Abdias Fernandes, estou terminando o curso de Psicologia pela Faculdade Luciano Feijão e me chega a oportunidade de realizar uma avaliação deste ano (2016).  Devo dizer que no início (do curso) tive uma certa dificuldade em relação à circulação nas classes (mobilidade), porém, no nono período houve um divisor de águas, porque tinha necessidade de fazer, relatórios, resumos e fichamentos dos pacientes em atendimentos em clínica (estágio na clínica-escola)”.

    Vicente Abdias Fernandes

Áurea Júlia de Abreu Costa

Psicóloga
Áurea Júlia de Abreu Costa

Psicóloga e Coordenadora do Núcleo de Acessibilidade e Inclusão

Doriane Prado Mouta Bezerra

Psicóloga
Doriane Prado Mouta Bezerra

Psicóloga responsável pelo Atendimento Educacional Especializado